quarta-feira, 4 de julho de 2007

Putz! Perdi!


Como é dicífil de le dar com o sentimento de perda não é mesmo?
Seja qual for a perda. Um emprego, um grande amor, uma amizade desfeita. Nunca estamos preparados para essas perdas que trazem com elas dúvidas e incertezas... Quem nunca num momento de perda se perguntou: Onde foi que eu errei?
Sempre achamos a culpa pela perda que sofremos é nossa, e na maioria das vezes é assim!
Inúmeras vezes me sinto assim. Mas aos poucos vou aprendendo a administrar esse sentimento da melhor forma possível.
Todos ão de concordar que somos condicionados em nossa vida a sempre enfrentar as dificuldades que a vida impõe de frente com a cabeça erguida e não se deixar abater pelas derrotas, mas ninguém diz como é ruim a conseqüência da perda!
Perder é como se o chão simplesmente sumisse de nossos pés e não sabemos o que fazer, onde ir, nem a quem recorrer.
Esquecemos como somos vulneráveis. Temos sempre a ilusão que as coisas ruins só acontecem aos outros. Esse tipo de ilusão é um refúgio que criamos da realidade que é extremamente fria, cruel e implacável.
Mas nada como o tempo para amenizar os estragos que a perda traz. Algumas feridas cicatrizam por inteiro, outras aparentemente saradas se abrem ao menor dos toques e sangra como se tivesse sido feita naquele exato momento trazendo à tona toda dor que num momento se encontrava adormecida.
O fato é que todos um dia já passaram por isso e vamos passar por muitas mais! Cabe a cada um tentar impedir que isso se repita para, pois errar uma vez é aceitável, porém insistir no erro é burrice!

Um comentário:

Andréia disse...

OooH ZezúiS!!!..
decobiliu da mamãe...
esqueve tão bunhitu!